Editora JBC – 23 anos

16.03.2018 Fundada pelo empresário japonês Masakazu Shoji, a Editora JBC completa 23 anos!

A bordo do Kasato Maru, há 110 anos, a conexão entre Brasil e Japão dava seus primeiros passos. Em 1908, os primeiros imigrantes japoneses chegavam ao Brasil e, mais tarde, nos anos 90, milhares de tupiniquins iam em direção à Terra do Sol Nascente, em busca de trabalho.

Pensando em estreitar a distância entre os dois países, o empresário japonês Masakazu Shoji usou a comunicação como ferramenta para alcançar esse objetivo. Nascia, em 1992, o Patrimônio Tokyo, hoje em dia conhecido como JBGroup.

O “start” se deu com a publicação do Jornal Tudo Bem, no Japão, direcionado para os brasileiros. Dois anos depois, a sede brasileira é inaugurada. Seu primeiro veículo de imprensa nasce – Revista Made in Japan – editada e vendida simultâneamente no Brasil e no Japão.

Os anos 2000 iniciaram repletos de muita ação e aventuras com o lançamento da Revista Henshin, que trazia conteúdos sobre mangás, anime e séries tokusatsu, todos em primeira mão.

O triunfo da Henshin fez com que a JBC iniciasse com o passo seguinte: a publicação de mangás. Os títulos começaram a ser lançados em 2001, com quadrinhos clássicos como: Samurai X, Sakura Card Captors, Guerreiras Mágicas de Rayearth e Video Girl.

O grupo tomava forma e foram criados mais produtos e eventos. Para se ajustar com as constantes mudanças do período, a JBC entrou para o mundo digital com sites de conteúdo e, mais recentemente, com o lançamento dos mangás em e-book aproximando e disseminando a cultura de ambos países.

Há 23 anos, a Editora JBC se consolidou como vanguardista na área da comunicação com a primeira redação dividida entre dois países na produção da revista Made in Japan.  A JBC foi crescendo e se especializando em eventos, com a Japorama, e em serviços de logística e distribuição, com a empresa Ohmina.

Palavra do fundador

O que significa ser uma empresa de comunicação que liga dois países em lados opostos do mundo, com costumes diferentes e hábitos tão próprios?

Para nós, significa entender e unir duas culturas, respeitando as características de cada uma. E, a partir disso, desenvolver um trabalho que represente uma melhoria efetiva na relação entre elas.

Masakazu Shoji, fundador do JBGroup