Anúncio JBC – Rosa de Versalhes

09.03.2018 Um verdadeiro marco na história dos mangás shojo, Rosa de Versalhes chega pela primeira vez ao Brasil pela Editora JBC.

Um verdadeiro marco na história dos mangás shojo, Rosa de Versalhes chega pela primeira vez ao Brasil pela Editora JBC. Sucesso mundial da autora Riyoko Ikeda, a obra foi produzida entre 1972 e 1973, na mesma época em que as reivindicações pelos direitos das mulheres haviam tido início e estavam em evidência no mundo todo. Com temas que trazem à tona questões sobre gênero, senso de justiça, direitos humanos e momentos históricos reais, Ikeda revolucionou a forma de se fazer mangá para o público feminino abrindo caminho e influenciando uma nova geração de mangakás dos mais diversos segmentos.

Sobre Rosa de Versalhes

A trama é centrada em duas mulheres fortes: a primeira é Oscar François de Jarjayes, uma menina que foi criada como homem, e que se transformou em uma grande líder e foi responsável por diversos feitos. Lady Oscar, como é conhecida internacionalmente, mostra-se independente e respeitada por todos, sendo referência para as mulheres por sua força e destreza. A outra é a controversa Maria Antonieta, que acaba de ser prometida em casamento ao futuro rei da França. Rosa de Versalhes ainda abre espaço para discussões sobre gênero e tem passagens baseadas em fatos históricos reais, próximos à Revolução Francesa ocorrida no século XVIII.

A Autora

Riyoko Ikeda: Natural de Osaka, Riyoko Ikeda é uma autora de mangás que se tornou referência em mangás shojo. Entre os seus títulos publicados, Ikeda apresenta cenários com entornos históricos como a Revolução Francesa e a Russa, tendo o título Rosa de Versalhes como grande sucesso de sua carreira.

Seu gosto particular por essa linha de literatura se deu a partir de leituras do romancista Stefan Zweig, autor de ‘’Maria Antonieta – Retrato de uma Personagem Central (1932)’’, despertando o interesse pela personagem e que serviu de inspiração para Rosa de Versalhes. Sua influência foi tamanha que, em 2008, a autora recebeu a Ordre National de la Légion d’honneur, na França, uma honraria por sua contribuição de conhecimento da história francesa no Japão. Para Ikeda, a história relatada mudou a percepção do gênero shojo, que não era bem visto, até então, pela editora que publicou o mangá. No fim, Rosa de Versalhes teve grande prestígio não só no Japão, como no mundo todo, e acabou abrindo espaço no mercado para outras obras do gênero.

Fique ligado em nossas redes sociais e sites para maiores informações sobre a obra!